Preppr helps Businesses on Instagram to Schedule and Auto-post.
Learn More
Photos and video with hashtag #candomble

#candomble

  • 72.1K Photos
  • Small
  • Medium
  • Large
  • Grid
  • List
  • Columns
- “ POEMA PARA EXU 🎩 Não sou preto, branco ou vermelho; Tenho as cores e formas que quiser. Não sou diabo nem santo, sou Exu! Mando e desmando, traço e risco, faço e desfaço. Estou e não vou. Tiro e não dou. Sou Exu! Passo e cruzo. Traço, misturo e arrasto o pé. Sou reboliço e alegria. Rodo, tiro e boto; jogo e faço fé. Sou nuvem, vento e poeira. Quando quero, homem e mulher. Sou das praias e da maré. Ocupo todos os cantos; Sou menino, avô, maluco até. Posso ser João, Maria ou José. Sou o ponto do cruzamento. Durmo acordado e ronco falando. Corro, grito e pulo. Faço filho assobiando. Sou argamassa, de sonho, carne e areia. Sou a gente sem bandeira. O espeto, meu bastão. O assento? O vento! … Sou do mundo, nem do campo, nem da cidade. Não tenho idade. Recebo e respondo pelas pontas, pelos chifres da Nação. Sou Exu. Sou agito, vida, ação. Sou os cornos da lua nova; a barriga da lua cheia!… Quer mais? Não dou, não tô mais aqui. 🎩🕯 Apostilas de Axé - Há 07 anos levando o melhor conteúdo para você! #apostilasdeaxe #axe #candomble #umbanda #ase #ogum #oxala #oxossi #oxum #oya #iansa #yemanja #iemanja #exu #luz #fé #amor #tolerancia #respeito #orixa #orixas ”
- “ POEMA PARA EXU 🎩 Não sou preto, branco ou vermelho; Tenho as cores e formas que quiser. Não sou diabo nem santo, sou Exu! Mando e desmando, traço e risco, faço e desfaço. Estou e não vou. Tiro e não dou. Sou Exu! Passo e cruzo. Traço, misturo e arrasto o pé. Sou reboliço e alegria. Rodo, tiro e boto; jogo e faço fé. Sou nuvem, vento e poeira. Quando quero, homem e mulher. Sou das praias e da maré. Ocupo todos os cantos; Sou menino, avô, maluco até. Posso ser João, Maria ou José. Sou o ponto do cruzamento. Durmo acordado e ronco falando. Corro, grito e pulo. Faço filho assobiando. Sou argamassa, de sonho, carne e areia. Sou a gente sem bandeira. O espeto, meu bastão. O assento? O vento! … Sou do mundo, nem do campo, nem da cidade. Não tenho idade. Recebo e respondo pelas pontas, pelos chifres da Nação. Sou Exu. Sou agito, vida, ação. Sou os cornos da lua nova; a barriga da lua cheia!… Quer mais? Não dou, não tô mais aqui. 🎩🕯 Apostilas de Axé - Há 07 anos levando o melhor conteúdo para você! #apostilasdeaxe #axe #candomble #umbanda #ase #ogum #oxala #oxossi #oxum #oya #iansa #yemanja #iemanja #exu #luz #f é #amor #tolerancia #respeito #orixa #orixas
- “ POEMA PARA EXU 🎩 Não sou preto, branco ou vermelho; Tenho as cores e formas que quiser. Não sou diabo nem santo, sou Exu! Mando e desmando, traço e risco, faço e desfaço. Estou e não vou. Tiro e não dou. Sou Exu! Passo e cruzo. Traço, misturo e arrasto o pé. Sou reboliço e alegria. Rodo, tiro e boto; jogo e faço fé. Sou nuvem, vento e poeira. Quando quero, homem e mulher. Sou das praias e da maré. Ocupo todos os cantos; Sou menino, avô, maluco até. Posso ser João, Maria ou José. Sou o ponto do cruzamento. Durmo acordado e ronco falando. Corro, grito e pulo. Faço filho assobiando. Sou argamassa, de sonho, carne e areia. Sou a gente sem bandeira. O espeto, meu bastão. O assento? O vento! … Sou do mundo, nem do campo, nem da cidade. Não tenho idade. Recebo e respondo pelas pontas, pelos chifres da Nação. Sou Exu. Sou agito, vida, ação. Sou os cornos da lua nova; a barriga da lua cheia!… Quer mais? Não dou, não tô mais aqui. 🎩🕯 Apostilas de Axé - Há 07 anos levando o melhor conteúdo para você! #apostilasdeaxe #axe #candomble #umbanda #ase #ogum #oxala #oxossi #oxum #oya #iansa #yemanja #iemanja #exu #luz #fé #amor #tolerancia #respeito #orixa #orixas ”
- EPA EPA BABÁ! 🕊🐚🍚🙌🏼 LENDA DE OXALUFÃ: Oxalufã ( a versão velha de Oxalá ) era um rei muito idoso que andava com dificuldade, apoiado em seu cajado, o opaxorô. Um dia, sentindo saudades do filho Xangô, resolveu visitá-lo. Como era costume na terra dos orixás, consultou um babalaô para saber como seria a viagem. Este recomendou que não viajasse. Mas, como o orixá teimasse em ver o filho, foi instruído a levar três roupas brancas e limo da costa ( pasta extraída do caroço de dendê) e fazer tudo o que lhe pedissem. Com essas precauções, o orixá partiu e, no meio do caminho, encontrou Exu Elepô, dono do azeite-de-dendê, sentado a beira da estrada, com um pote ao lado. Com boas maneiras, ele pediu a Oxalufã que o ajudasse a colocar o pote nos ombros. O velho orixá, lembrando as palavras do babalaô, resolveu auxiliá-lo; mas Exu Elepô, que adora brincar. Derramou todo o dendê sobre Oxalufã. O orixá manteve a calma, limpou-se no rio com um pouco do limo, vestiu outra roupa e seguiu viagem. Mais adiante encontrou Exu Onidu, dono do carvão, e Exu Aladi, dono do óleo do caroço de dendê. Por duas vezes mais foi vitima dos brincalhões e procedeu como da primeira vez, limpando-se e vestindo roupas limpas, continuando sua caminhada rumo ao reino de Xangô. Ao se aproximar das terras do filho, avistou um cavalo que conhecia muito bem, pois presenteara Xangô com o animal tempos atras. Resolveu amarrá-lo para levá-lo de volta, mas foi mal interpretado pelos soldados, que julgaram-no um ladrão. Sem permitir explicações, eles espancaram o velho ate quebrar seus ossos e o arrastaram para a prisão. Usando seus poderes, Oxalá fez com que não chovesse mais desse dia em diante; as colheitas foram prejudicadas e as mulheres ficaram estéreis. Preocupado com isso, Xangô consultou seu babalaô e este afirmou que os problemas se relacionavam a uma injustiça cometida sete anos antes, pois um dos presos fora acusado de roubo injustamente. O orixá dirigiu-se a prisão e reconheceu o pai. Continua nos comentários ⤵️⤵️
- EPA EPA BABÁ! 🕊🐚🍚🙌🏼 LENDA DE OXALUFÃ: Oxalufã ( a versão velha de Oxalá ) era um rei muito idoso que andava com dificuldade, apoiado em seu cajado, o opaxorô. Um dia, sentindo saudades do filho Xangô, resolveu visitá-lo. Como era costume na terra dos orixás, consultou um babalaô para saber como seria a viagem. Este recomendou que não viajasse. Mas, como o orixá teimasse em ver o filho, foi instruído a levar três roupas brancas e limo da costa ( pasta extraída do caroço de dendê) e fazer tudo o que lhe pedissem. Com essas precauções, o orixá partiu e, no meio do caminho, encontrou Exu Elepô, dono do azeite-de-dendê, sentado a beira da estrada, com um pote ao lado. Com boas maneiras, ele pediu a Oxalufã que o ajudasse a colocar o pote nos ombros. O velho orixá, lembrando as palavras do babalaô, resolveu auxiliá-lo; mas Exu Elepô, que adora brincar. Derramou todo o dendê sobre Oxalufã. O orixá manteve a calma, limpou-se no rio com um pouco do limo, vestiu outra roupa e seguiu viagem. Mais adiante encontrou Exu Onidu, dono do carvão, e Exu Aladi, dono do óleo do caroço de dendê. Por duas vezes mais foi vitima dos brincalhões e procedeu como da primeira vez, limpando-se e vestindo roupas limpas, continuando sua caminhada rumo ao reino de Xangô. Ao se aproximar das terras do filho, avistou um cavalo que conhecia muito bem, pois presenteara Xangô com o animal tempos atras. Resolveu amarrá-lo para levá-lo de volta, mas foi mal interpretado pelos soldados, que julgaram-no um ladrão. Sem permitir explicações, eles espancaram o velho ate quebrar seus ossos e o arrastaram para a prisão. Usando seus poderes, Oxalá fez com que não chovesse mais desse dia em diante; as colheitas foram prejudicadas e as mulheres ficaram estéreis. Preocupado com isso, Xangô consultou seu babalaô e este afirmou que os problemas se relacionavam a uma injustiça cometida sete anos antes, pois um dos presos fora acusado de roubo injustamente. O orixá dirigiu-se a prisão e reconheceu o pai. Continua nos comentários ⤵️⤵️
- EPA EPA BABÁ! 🕊🐚🍚🙌🏼 LENDA DE OXALUFÃ: Oxalufã ( a versão velha de Oxalá ) era um rei muito idoso que andava com dificuldade, apoiado em seu cajado, o opaxorô. Um dia, sentindo saudades do filho Xangô, resolveu visitá-lo. Como era costume na terra dos orixás, consultou um babalaô para saber como seria a viagem. Este recomendou que não viajasse. Mas, como o orixá teimasse em ver o filho, foi instruído a levar três roupas brancas e limo da costa ( pasta extraída do caroço de dendê) e fazer tudo o que lhe pedissem. Com essas precauções, o orixá partiu e, no meio do caminho, encontrou Exu Elepô, dono do azeite-de-dendê, sentado a beira da estrada, com um pote ao lado. Com boas maneiras, ele pediu a Oxalufã que o ajudasse a colocar o pote nos ombros. O velho orixá, lembrando as palavras do babalaô, resolveu auxiliá-lo; mas Exu Elepô, que adora brincar. Derramou todo o dendê sobre Oxalufã. O orixá manteve a calma, limpou-se no rio com um pouco do limo, vestiu outra roupa e seguiu viagem. Mais adiante encontrou Exu Onidu, dono do carvão, e Exu Aladi, dono do óleo do caroço de dendê. Por duas vezes mais foi vitima dos brincalhões e procedeu como da primeira vez, limpando-se e vestindo roupas limpas, continuando sua caminhada rumo ao reino de Xangô. Ao se aproximar das terras do filho, avistou um cavalo que conhecia muito bem, pois presenteara Xangô com o animal tempos atras. Resolveu amarrá-lo para levá-lo de volta, mas foi mal interpretado pelos soldados, que julgaram-no um ladrão. Sem permitir explicações, eles espancaram o velho ate quebrar seus ossos e o arrastaram para a prisão. Usando seus poderes, Oxalá fez com que não chovesse mais desse dia em diante; as colheitas foram prejudicadas e as mulheres ficaram estéreis. Preocupado com isso, Xangô consultou seu babalaô e este afirmou que os problemas se relacionavam a uma injustiça cometida sete anos antes, pois um dos presos fora acusado de roubo injustamente. O orixá dirigiu-se a prisão e reconheceu o pai. Continua nos comentários ⤵️⤵️
- Meu pai Ogum, bravo guerreiro, eu entrego meu dia em tuas mãos. Peço que o senhor me ensine a ser destemida(o), que me ensine a sair da zona de conforto e lutar pelos meus objetivos. Que eu seja honesta(o) e justa(o), e que tenha coragem para seguir adiante, face a qualquer dificuldade. Que meus inimigos não tenham mãos para me tocar, ou pés para me alcançar, nem olhos para me ver. Que todos pensamentos negativos dirigidos a mim, percam a força e caiam por terra. Que seu escudo me proteja e o reflexo de sua espada cegue os inimigos, e que todo mal a mim destinado, seja transformado em energias positivas! Ogunhê!!! ⠀ Texto por Mari Oliveira Foto Mania de Axé
- Meu pai Ogum, bravo guerreiro, eu entrego meu dia em tuas mãos. Peço que o senhor me ensine a ser destemida(o), que me ensine a sair da zona de conforto e lutar pelos meus objetivos. Que eu seja honesta(o) e justa(o), e que tenha coragem para seguir adiante, face a qualquer dificuldade. Que meus inimigos não tenham mãos para me tocar, ou pés para me alcançar, nem olhos para me ver. Que todos pensamentos negativos dirigidos a mim, percam a força e caiam por terra. Que seu escudo me proteja e o reflexo de sua espada cegue os inimigos, e que todo mal a mim destinado, seja transformado em energias positivas! Ogunhê!!! ⠀ Texto por Mari Oliveira Foto Mania de Axé
- Meu pai Ogum, bravo guerreiro, eu entrego meu dia em tuas mãos. Peço que o senhor me ensine a ser destemida(o), que me ensine a sair da zona de conforto e lutar pelos meus objetivos. Que eu seja honesta(o) e justa(o), e que tenha coragem para seguir adiante, face a qualquer dificuldade. Que meus inimigos não tenham mãos para me tocar, ou pés para me alcançar, nem olhos para me ver. Que todos pensamentos negativos dirigidos a mim, percam a força e caiam por terra. Que seu escudo me proteja e o reflexo de sua espada cegue os inimigos, e que todo mal a mim destinado, seja transformado em energias positivas! Ogunhê!!! ⠀ Texto por Mari Oliveira Foto Mania de Axé

This product uses the Instagram API but is not endorsed or certified by Instagram. All Instagram™ logos and trademarks displayed on this application are property of Instagram.